Imagine a situação: você viu uma blusa linda na arara de uma loja, resolve experimentá-la e, embora seja do seu tamanho exato, algo não lhe caiu bem, mas você não consegue dizer exatamente o quê.

A resposta para essa situação pode estar na cor da blusa, que não se ajusta com o seu tipo de tom de pele, por exemplo. É por isso que há uma procura crescente por profissionais que fazem um trabalho de análise de coloração pessoal, ajudando pessoas a descobrirem quais cores realçam mais suas belezas.

Ficou curioso? Então veja 4 curiosidades sobre o assunto!

análise de coloração pessoal

1. As estações das cores

Um dos métodos mais comuns para se fazer uma análise de coloração pessoal é chamado de “sazonal expandido”, que consiste em organizar as cores de acordo com as 4 estações:

  • verão: cores claras, esmaecidas e frias;
  • primavera: cores vivas, coloridas e quentes;
  • outono: cores terrosas, escuras e quentes;
  • inverno: cores puras, contrastantes e frias.

Isso não tem a ver com as colorações de roupas que você deve usar em cada estação, mas sim nomenclaturas para designar a estação das cores que mais favorece seu biótipo.


2. A coloração de cada um

Embora seja aconselhado contratar um profissional para designar a coloração pessoal de cada um, existem algumas diquinhas básicas para ter uma ideia do que cai bem e o que não cai.

Por exemplo, se o seu guarda-roupas for mais composto por casacos marrons, calças pretas, blusas roxas/pink e sapatos nude, então provavelmente a estação das suas cores é o outono e/ou inverno. Essa estação combina peças quentes e frias de uma maneira mais fechada e, ao mesmo tempo, marcante.

Já se o seu armário estiver lotado de peças amarelas, alaranjadas, douradas, turquesa ou salmão, certamente sua estação é a primavera, já que peças de cores vivas e quentes costumam valorizar suas características físicas.


3. O mito das cores neutras

Muita gente acha que as cores neutras ficam bem em todo mundo, mas isso não é verdade. Por exemplo, em alguns tons de pele, o preto pode criar um aspecto “pesado”, ressaltando linhas de expressão ou olheiras.

O branco, por sua vez, pode ser um efeito contrário, “apagando” a pessoa e a deixando apática e com uma aparência inexpressiva.


4. As substâncias que determinam a nossa coloração

A derme, que é a camada mais superficial da nossa pele, é composta por diferentes níveis de três elementos: hemoglobina, caroteno e melanina. A quantidade desses três elementos é diferente para cada um, sendo a mistura deles o resultado do nosso tom de pele.

Por isso, dependendo da cor de roupa ou acessório que estamos usando, a luz refletirá de uma certa maneira, causando impacto na nossa pele, principalmente na do rosto.


Como visto, determinar as cores mais adequadas para cada tom de pele não é algo tão simples. O recomendado é ter a ajuda de um profissional, que geralmente presta serviço de consultoria de imagem e estilo.

E então, gostou das curiosidades sobre análise de coloração pessoal? Então confira nosso artigo que conta a história do mito por trás da carteira vermelha!

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.